Caminhoneiros de SC aguardam respostas do governo federal para decidirem sobre novas paralisações

Caminhoneiros de SC aguardam respostas do governo federal para decidirem sobre novas paralisações Maikeli Alves/Agência RBS
Caminhoneiros bloquearam diversas rodovias em SC no mês passado Foto: Maikeli Alves / Agência RBS
Gabriel Rosa - Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Nesta terça-feira, a categoria se reúne em Brasília com os ministros da Secretaria-Geral da Presidência, da Agricultura e dos Transportes

Em contato direto com representantes da categoria em outras regiões do país, caminhoneiros de Santa Catarina ainda aguardam uma resposta do governo federal às reivindicações feitas no mês passado para decidirem sobre novas paralisações ou bloqueios. Nesta terça-feira, a categoria se reúne em Brasília com os ministros da Secretaria-Geral da Presidência, da Agricultura e dos Transportes.

Uma comitiva formada por pelo menos 10 caminhoneiros de Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul está em Brasília para acompanhar o debate e repassar informações com rapidez aos colegas.

Por telefone, o caminhoneiro Júnior Bonora — que junto com o primo Vilmar Bonora, iniciou o movimento no Oeste catarinense — relata que a comitiva não tem "ligação com sindicato algum", e que a decisão de cruzar os braços não depende de orientação do Comando Nacional do Transporte.

— Dependemos de uma resposta concreta do governo, mas mesmo que os sindicatos queiram parar já nesta terça-feira, isso não muda nossa decisão. Parar ou não depende somente dos caminhoneiros, e é entre os caminhoneiros que o assunto está sendo discutido.

Já o primo Vilmar — que em diversos momentos afirmou à imprensa que estaria disposto a permanecer parado até ver suas reivindicações sendo atendidas — não quis comentar as pautas e se limitou a dizer que agora "tudo depende do que o governo vai repassar" à categoria.

Em fevereiro, caminhoneiros de pelo menos 14 Estados cruzaram os braços ou bloquearam trechos de rodovias e entradas de portos, impedindo empresas de escoarem a produção e causando esvaziamento dos estoques em diversas localidades. Nos locais onde o ato mais se estendeu, como em São Miguel do Oeste, os grevistas chegaram a passar 13 dias parados.

Entre as principais demandas enviadas à Brasília estão o tabelamento do frete, a carência em programas de financiamento como o Procaminhoneiro, a redução do PIS/Cofins sobre o diesel e o perdão das notificações e processos judiciais aplicados durante a paralisação.

— Estes são os primeiros pontos que devem ser comentados para a categoria discutir se volta a parar ou não — comenta Júnior Bonora.

FONTE: DIÁRIO CATARINENSE

Share/Save/Bookmark

Caminhão carregado com cebolas tomba na BR-470, entre Rodeio e Ascurra

Caminhão carregado com cebolas tomba na BR-470, entre Rodeio e Ascurra Airton Souza/Divulgação
Apenas o container do caminhão caiu na ribanceira
Foto: Airton Souza / Divulgação

Dois acidentes foram registrados na mesma região na manhã desta terça-feira, mas a rodovia não está interrompida

Um caminhão carregado de cebolas tombou na BR-470 entre os municípios de Rodeio e Ascurra por volta das 7h na manhã desta terça-feira. Apenas o container caiu da ribanceira ao lado de uma ponte situada no Km 88. Uma hora após outro acidente foi registrado no Km 90: um caminhão carregado de papelão tombou na pista. Nenhum dos motoristas se feriu.

Na primeira ocorrência, a cabine do caminhão não tombou, apenas o container carregado com cebolas. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o trânsito não está bloqueado em nenhum dos pontos.

FONTE: JORNAL DE SANTA CATARINA

Share/Save/Bookmark

Bloqueio na BR-101 gera filas em Itajaí na manhã desta sexta-feira

Bloqueio na BR-101 gera filas em Itajaí na manhã desta sexta-feira Maikeli Alves/Agência RBS

Bloqueio foi liberado por volta das 9h - Foto: Maikeli Alves / Agência RBS

Rodovia chegou a ficar bloqueada em todos os sentidos, mas foi liberada por volta das 9h

A BR-101 amanheceu bloqueada em Itajaí nesta sexta-feira. O protesto de caminhoneiros que mobiliza diversos estados do Brasil chegou na região na noite desta quinta-feira, por volta das 22h30min, quando os manifestantes fecharam a rodovia no sentido Norte, perto do trevo de acesso à BR-470, no Km 112. Por volta das 9h os caminhoneiros encerraram o bloqueio e liberaram ambos os sentidos para veículos de carga e passeio.

O trânsito fluiu para outros veículos até às 5h30min, quando os caminhoneiros bloquearam as duas pistas. O fluxo se complicou mais ainda quando, por volta das 8h, os manifestantes bloquearam também as pistas do sentido Sul. Segundo a Autopista Litoral Sul, houve mais de seis quilômetros de congestionamento no sentido Sul e nove quilômetros no Norte. O bloqueio teve participação dos caminhoneiros autônomos de Itajaí e cidades vizinhas e ganhou o apoio de outros motoristas que vinham no sentido Sul.

— Essa é a nossa maneira de mostrar que somos importantes para o país, que a classe merece ter as demandas atendidas — afirmou Adelmo Bastos, caminhoneiro de Itajaí que participou da manifestação.

Sindicato não apoia bloqueio
Ademir de Jesus, presidente do Sindicato dos Transportadores Autônomos de Itajaí (Sintracon), disse que o sindicato não apoia o bloqueio total das rodovias:

— Não apoiamos, mas entendemos que é o único jeito de fazer o governo escutar os pedidos da classe. Hoje vamos debater com os transportadores a questão do aumento do frete.

Em outras rodovias da região os protestos já vêm diminuindo, como em Pouso Redondo, que viu o fim do bloqueio durante esta madrugada. Na BR-470, uma liminar da Justiça Federal proibiu qualquer interrupção na rodovia, com multa de R$ 10 mil por dia para cada veículo que fechar a pista. Segundo a liminar, o direito de manifestação é garantido, mas desde que os caminhoneiros mantenham o livre acesso a qualquer trecho da rodovia federal.

FONTE: JORNAL DE SANTA CATARINA

Share/Save/Bookmark

Ônibus atropela pedestre na Avenida Beira-Rio, em Blumenau

Ônibus atropela pedestre na Avenida Beira-Rio, em Blumenau Patrick Rodrigues/Agência RBS
Acidente teria acontecido por causa do semáforo piscando
Foto: Patrick Rodrigues / Agência RBS

Três pessoas ficaram feridas no acidente

Correção: Das 13h34min até as 14h45min, este site informou equivocadamente que três pessoas haviam sido atropeladas. Na verdade, apenas uma foi atropelada, as outras duas se machucaram dentro do ônibus, no momento do acidente. O texto foi corrigido.

Um ônibus atropelou um pedestre hoje por volta das 11h20min na Avenida Beira-Rio, em Blumenau. O acidente aconteceu próximo à prefeitura, na faixa exclusiva do ônibus. De acordo com pessoas que estavam no local, no momento da colisão o semáforo estava piscando, quando Andrei Brum, de 18 anos, atravessou fora da faixa. O motorista do ônibus tentou frear mas não conseguiu evitar o acidente. O jovem, que saiu ferido e foi conduzido pelo Corpo de Bombeiros para o Hospital Santo Antônio, já recebeu alta médica.

Com a parada brusca, duas passageiras do ônibus caíram no chão e também se machucaram. Roseli Fendrich, 37, e Neasi dos Santos, também de 37 anos. As duas foram encaminhadas para o Hospital Santo Antônio pelo SAMU. Segundo a assessoria de imprensa da unidade de saúde, Roseli já foi liberada.

FONTE: JORNAL DE SANTA CATARINA

Share/Save/Bookmark

Manifestantes impedem acesso de caminhões ao terminal da Portonave em Navegantes

Manifestantes impedem acesso de caminhões ao terminal da Portonave em Navegantes Marcos Porto/Agência RBS
Manifestantes orientam caminhoneiros a fazer a volta e não entrar na Portonave
Foto: Marcos Porto / Agência RBS

Grupos estão posicionados na rótula do bairro Machados e próximo a empresa Leardini

O protesto dos caminhoneiros autônomos de Itajaí e região chegou também ao terminal portuário da Portonave, em Navegantes. Manifestantes estão posicionados nos dois acessos ao local, desde o fim da manhã desta sexta-feira, impedindo a entrada de caminhões contêineres. Cerca de 50 pessoas estão envolvidas no bloqueio.

Um dos manifestantes, o caminhoneiro Alex Machado conta que um dos grupos, com cerca de 30 pessoas, está parado na rótula da BR-470, no bairro Machados. Os caminhões que passam por ali são impedidos de entrar na Avenida Portuária e são orientados a retornar para as transportadoras. Próximo a empresa Leardini, outra equipe de aproximadamente 20 pessoas também impede a entrada dos motoristas.

— Até agora o pessoal está respeitando o bloqueio. Não estamos gerando filas, apenas parando os caminhões contêineres — argumenta Machado, dizendo ainda que não há previsão para liberar os locais.

Menos de 5% dos caminhões agendados conseguiram entrar na Portonave

A Portonave emitiu nota na manhã desta sexta-feira em que afirma que dos 766 caminhões com entrada programada entre meia-noite e 9h, apenas 35 haviam cumprido a agenda — 31 entraram e 4 saíram do terminal. Os atrasos são reflexo da paralisação na BR-101, durante a noite e o início da manhã.

De acordo com a nota oficial os caminhões que atrasaram estão sendo reagendados e a movimentação de contêineres segue normalmente.

Conforme a Portonave, entre às 14h30 e às 17h30 desta sexta, apenas três caminhões entraram no terminal. Os caminhoneiros podem ter chagado ao porto por meio de ruas laterais da BR-470, evitando o bloqueio na rotatória do bairro Machados. Em uma sexta-feira normal entram 1200 a 1400 caminhões no terminal.

Também pela manhã a entrada do Porto de Itajaí foi fechada por manifestantes. Com faixas, os caminhoneiros autônomos estão a pé e pedem aumento no valor dos fretes. O sindicato da categoria alega que o valor chega a ser três vezes menor do que em Santos.

FONTE: O SOL DIÁRIO

Share/Save/Bookmark
Mais Artigos...

Caramba's Country Fest ♣ 17.01.2015

DSC_0107 _MG_0146 DSC_0257 _MG_0102 DSC_0021 _MG_0071 DSC_0282 _MG_0070 _MG_0028 _MG_0084 _MG_0104 DSC_0285 _MG_0112 DSC_0273 DSC_0041 _MG_0009 DSC_0110 _MG_0113 DSC_0102 _MG_0097